31 de dezembro de 2008

bom ano




entrar no ano com o casaco novo que a avó fez

30 de dezembro de 2008

26 de dezembro de 2008

23 de dezembro de 2008

16 de dezembro de 2008

desmame



o rescaldo da consulta trouxe-nos o desmame a martelar na cabeça, mais na minha que na dele. nem sei bem que prós e contras hei-de atirar para a balança, entre os enumerados, os que guardei cá com os meus botões, os que indirectamente lançam o futuro mais ou menos próximo e outros tantos entre os que se ouvem e os que se deduzem. o miudo parece-me bem mas diz que está fora das curvas. bem sabemos que tem dormido aos solavancos e isso não lhe faz nada bem, a mim chateáva-me mais que a questão das curvas. mais por ele que por mim. se a balança ceder vou mesmo ter de levar a coisa avante e ginasticar-me para me afastar das culpabilizações. a verdade é que espero que não me apareça aqui a protecção de menores. é que o puto até pode ser o rei da casa, mas a rainha ainda sou eu...espírito positivo é do que eu preciso...

13 de dezembro de 2008

rrr



o miúdo está ranhoso. ranhoso porque o ranho lhe passeia nas narinas e ranhoso porque nos reclama a toda a hora. coincidência ou não estão quatro dentes a romper ao mesmo tempo. não é fácil.

12 de dezembro de 2008

7 de dezembro de 2008

mesário



aos dez meses ainda mama que se farta. roubo-o às gavetas que insiste em abrir e fechar. quer explorar tudo o que é novo e adora rasgar papel. este ano as bolas do pinheiro são a tentação do momento. não diz adeus, não aponta, nem bate palminhas, não diz mama nem papá mas ri-se e gargalha imenso e muitas vezes, para nós e para toda a gente e, isso é o que nos basta. não estranha ninguém e é uma simpatia. lambuza-me a cara a traduzir beijinhos e canta mamamamamamama, como que a pedir colo. continua a agarrar-se aos meus cabelos como se me quisesse engolir. a semana passada dançamos no sling e adormeceu como nos velhos tempos.

4 de dezembro de 2008

dos embrulhos



o resultado de um gabinete de arquitectura é uma ploter a vomitar quilos de papel nem sempre optimizado daí que, para os embrulhos, a solução está encontrada, basta seguir o passo seguinte: ajudar a mão mais pequena cá de casa a decorá-los. para isso tentámos fazê-la passear umas linhas. uma linha é um ponto que foi passear.

3 de dezembro de 2008

perfil


a sombra da partilha. parabéns.

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982