30 de julho de 2011

29 de julho de 2011

ele














-mama ele está a olhar para a luz!
-ele está a olhar para os óculos do papá porque eles brilham!
-mama ele gosta de coisas que brilham
-mama ele olha para mim porque os meus olhos brilham!
-sim meu filho os teus olhos brilham!....

28 de julho de 2011

sim está














uma visita para a filha de 3 anos: anda ver o bébé
filha: ah mama mas ainda está na barriga!

18 de julho de 2011

e pronto é só isto

mama ele disse hei!
mama ele está a dizer que gosta de mim!
mama ele gosta de estar na minha cama!
mama não o podes pousar porque ele ainda não arrotou e depois fica mal disposto...
e para já esgota-o de beijos.

13 de julho de 2011

a minha vida neles















tentei mas não consigo ser substituível no alimento do mais pequeno e o tempo por aqui não tem estado de feição, entre dias chuvosos e ventosos, resta-nos quase as quatro paredes e escapadelas muito pontuais. quase nos remetemos só à produção de leite e queria produzir outras coisas, entre elas uma espécie de alforge para o braço do sofá com gangas recicladas que me contenha os apetrechos que mais uso numa média de oito vezes ao dia. enquanto se escolhem os intervalos para as actividades mais básicas (dormir, comer, lavar e dar tempo ao mais velho) os projectos só ainda pairam na cabeça. por isso os temas reduzem-se a isto. a falar nos pequenos, nas gracinhas e nas suas descobertas. a minha vida neles.

12 de julho de 2011

isto não é um jogo

















mas nós por cá achamos que podia ser e que belo jogo este.
ele: mama esta árvore tinha muitos anos (enquanto mostra o veio)

7 de julho de 2011

15 dias















os pés desincharam, a cicatriz já não dói, a barriga já está de 5 meses, o peito operacional, humores mais ou menos controlados, choros fora do período nocturno que é sempre o mais custoso. a vida começa a passo de caracol a ter novas rotinas mas ontem planeei pintar um quadro com o mais velho mas quando o mais novo "deixou" era hora de banhos e jantares. na outra noite contei história e adormeci o maior com o mais pequeno ao peito, nada que não se faça ou desenrasque. ontem até apanhamos ar enquanto o maior comeu cerejas no nosso parque do costume e a coisa vai correndo melhor ou pior.

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982