31 de julho de 2018

41


espero continuar a não ter problemas com o passar do tempo. espero continuar a gostar que passe o tempo. quando olho para trás apaixono-me à distância pelo que vivi. o que me vivi já me deu tanto que me sinto um bocadinho maior todos os dias.

25 de julho de 2018

this moment


os cinco sentidos, a audição, 20 meses, uma concha, mostrar o mundo, tecnologias out, ouvir o mar. o deus das pequenas coisas que nos deixas. a escola em casa é melhor que a escola na escola.

22 de julho de 2018

os nossos pés pretos


fizemos de turistas mas não saímos de casa. lançámo-nos à nevralgia da sede de distrito como se fossemos sem destino nem planos para depois. um quinto de nós já lança humores inconstantes, outro quinto tem rotinas certinhas que convém manter constante, outro quinto balanceia feliz com o que vier à rede mas tropeça em mil distrações que lançam quatro quintos dos elementos a esboçar sorrisos contidos. um pé dentro de uma sapatilha nova, tudo enfiado dentro da água lamacenta da caldeira do único pinheiro que se mantém em diálogo com o cubo de betão da praça. foi o volte-face que nos faltava para que todas as quintas partes se alinhassem. bateram todas as ruas a sujar o pé. ligaram-se à terra e curtiram o pé sujo na cidade.

20 de julho de 2018

10 de julho de 2018

surfing mini boy



cresces mergulhado em rotinas de quatro quintos de gente. nem sempre há amplitude espacial suficiente para te deixar ser e estar. às vezes entalado entre rotinas e afazeres da restante trupe, consegues expandir-te mais um bocadinho. és tranquilo, dás-nos noites razoáveis mas a poucos meses dos dois anos queres todas as alturas possíveis tal e qual o teu irmão acima. passeias sob a mesa de jantar e o a mesa dos pequenos almoços porque o rabo na cadeira já é muito básico para ti.

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982