30 de abril de 2012

de domingo





















aproveitámos todos os bocadinhos de um fim  de semana passado a correr. pai e filho deitaram mãos à obra e temos 4 novas tacinhas para pintar e encher de molho de soja.

29 de abril de 2012

22 de abril de 2012

miller goodman



















um com ajuda, este quase sozinho (deixei-lhe as peças necessárias). hoje acabamos o dia quase sem usarmos babysitter. como se "prende" um menino de quatro anos enquanto se adormece o de 10 meses?

21 de abril de 2012

quando

















é que o papa vem? porque é que ele não fica aqui a dormir e depois vem  e depois vai e depois vem e depois vai e depois vem e depois vai.
 

um gato e uma trela não combinam


















há quase uma semana em rotinas intensivas, duas crianças para um adulto.  tenta-se evitar que o mais pequeno se envolva em aventuras radicais, que passam por lhe amparar a cabeça nos malabarismos maiores e tentar que não escarafunche os dedos nas tomadas. gatinha, põe-se em pé e agarra tudo enquanto se pisca os olhos. o maior gatinha atrás dele e aperta-o, o que o irrita, e a anarquia quase se instala porque o maior abusa do desgoverno. na cabeça, quase a martelar, interrogações: como se mantém uma criança de quatro anos sentada na mesa a jantar se a mãe quase não pousa a retaguarda na cadeira porque ou está a alimentar o pequeno ou a rabiar atrás dele a monitorizar-lhe os movimentos. a certa altura está tudo a rabiar, a mãe perde o controlo e grita e sabe que falar baixinho resulta melhor.

16 de abril de 2012

de lá



















o pôr do sol do guaíba

14 de abril de 2012

precalços


















o meu coração saltou quando soltou um alçapão movido pela curiosidade dos seus quatro anos e na pressa de o segurar caiu com ele e trilhou os dedos. um susto. muito gelo e um raio x para descança-lo. ao coração. uma ligadura, centímetros de pano a mais, ossos sem danos. precalço ultrapassado quase sem mazelas.

11 de abril de 2012

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982