26 de setembro de 2007

my baby grows


tivesse eu jeitinho para escrever e descrevia-me alucinada com o técnico que ecográfica e morfologicamente mo analisou. e não é que o homem vomitou as vísceras relativamente ao que pensa do mundo e do que o rodeia invocando uma série de temas e personagens que para ali nunca foram chamados? e não é que no meio das queixas relativamente ao que os outros roubam me roubou mais de uma hora e meia de espera e paciência para o ouvir sem lhe responder a preceito? sou como ela. atadinha.
.
esgotada a paciência para se quer me apetecer fazer muitas perguntas sobre o tema para o qual nos juntou, de facto, ali. saí como entrei. tranquila relativamente ao que esta do lado de lá, a saber que mexe e remexe, consciente que cresce, sem fixações com parâmetros morfológicos mas consciente que este era mais um momento de contacto visual entre nós para nos irmos acompanhando um ao outro. esse momento saiu estrangulado pelas goelas de um técnico. e eu tirava-lhe a crista e redirecionava-lhe as palas não fosse eu politicamente correcta também lhe despejava ali as minhas vísceras e não matutava mais no assunto.
.
my baby grows e não escolhi ainda nenhum arsenal (do que me parece indispensável ter na sua recepção). tenho meia dúzia de babygrows mas já sinto a hora de começar a pensar em que cores o quero recebido. a nossa viagem vai a mais de meio e sem pressas desfrutamo-nos.
.
nota:babygrow daqui

3 comentários:

inubil disse...

ai o estúpido!

inubil disse...

a cor: branco, sem dúvida ;)

whitecode disse...

estava em transe com o maquiavel....existem pessoas muito inseguras!!!

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982