12 de outubro de 2010

o próximo passo é teu

a noite foi uma animação. uma expectoração colada nos brônquios do m. tipo lapa. detesto lapas quando não percebem que estão a mais e que já podem ir pregar para outra freguesia. vai daí andamos a tentar derrete o muco, em lume brando é certo, porque adiamos quase sempre a entrada dos químicos e por isso a coisa vai lenta. se pudéssemos chegávamos-lhe fogo e ficávamos a vê-lo derreter. como não podemos, atacamo-lo de fora com outras armas. a meio da noite demos de beber à tosse um leite quentinho e veio tudo de rajada ao fim de tempo suficiente para coalhar um bocadito e nós limpamos a coisa ligeiramente contentes porque acreditamos que há-de ter vindo um bocadinho da lapa. isto faz-nos andar muitas horas de volta da coisa e a situação está ligeiramente descontrolada, a roupa transborda nos cestos e no estendal. esta noite triplicou com tapetes, lençóis, e toalhões (coisas volumosas assim para animar),  há muito metro quadrado de chão imundo, muitas linhas esmigalhadas no chão, massinhas cortadas em bocadinhos milimétricos ( o miúdo tem uma fixação pela tesoura e se pudesse cortava tudo o que lhe viesse à mão) e bocaditos de cartão ( da remodelação da caixa que depois mostro) de um fim de semana entre paredes. agora estou aqui com 3 horas de olhos mal fechados e com as mãos ligeiramente a cheirar a vomitado por isso vinguei-me na senhora que nos tira alguns vincos e fiz-lhe uma lista diabólica. mas isso são migalhas na vida de outros. a maria inês encontrou dador. e a maria há-de fintar o supostamente evidente e engolir o lobo mau. o nosso contributo às vezes é tão pequeno que nos esquecemos de o dar.

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982